Polícia Federal encontra lista no gabinete de Wilson Lima com nomes e percentual de 5%

Inicio Amazonas

Polícia Federal encontra lista no gabinete de Wilson Lima com nomes e percentual de 5%

Na noite desta sexta-feira,02, a CNN mostrou documentos encontrados pela Polícia Federal (PF), apreendidos no gabinete do governador Wilson Lima (PSC)

Governador Wilson Lima garante que não mandou destruir EPIs
Servidores municipais de Careiro castanho receberão 100% do 13º salário em julho
Polícia Federal deflagra operação no Amazonas para desarticular crimes no INSS

Na noite desta sexta-feira,02, a CNN mostrou documentos encontrados pela Polícia Federal (PF), apreendidos no gabinete do governador Wilson Lima (PSC), na Operação Sangria, que investiga fatos relacionados a possíveis práticas de crimes, como pertencimento a organização criminosa, corrupção, fraude a licitação e desvio de recursos públicos federais.

Na reportagem da CNN foi lembrado que o governador teve a prisão pedida, mas negada pelo ministro do Superior Tribunal de Justiça, Francisco Falcão, que reconheceu “fundadas razões” para supor a efetiva participação de Wilson Lima na fraude.

Os documentos mostraram uma lista de nomes e um percentual de 5% escritos:  Joana, Roberto, Saulo, Bessa, Mayara, Terezinha, Abdala e Belão.

Segundo a CNN, também foi encontrada no gabinete uma cópia do contrato da aquisição de ventiladores pulmonares para tratamento de Covid-19 e proposta comercial da empresa que intermediou a compra dos ventiladores que levou à Operação Sangria.

Resposta Governo

Em nota, o  governador afirmou que as anotações não contêm nada que indique um suposto pagamento de propina ou aponte condutas irregulares na gestão estadual.

Confira a nota na íntegra: 

O governador Wilson Lima afirma que anotações, divulgadas pela imprensa como parte de uma operação da Polícia Federal,  não contêm absolutamente nada que indique quaisquer ilícitos. 

Segundo o governador, são anotações avulsas e sem conexão, que nem de longe indicam atos não republicanos. Desta forma, ele repudia qualquer tentativa de relacioná-las a condutas ilegais e envolver nomes de parlamentares.

Ao contrário do que possa sugerir material divulgado em meios de comunicação, afirmou,  não há sequer a menção de valores, pagamentos ou quaisquer benefícios de naturezas diversas.

COMENTÁRIOS

WORDPRESS: 0