Operação da Polícia Federal investiga sobrepreço no Hospital de Campanha de Aracaju

Inicio Poder

Operação da Polícia Federal investiga sobrepreço no Hospital de Campanha de Aracaju

Ação conta com apoio da Controladoria-Geral da União

Eduardo Pazuello nega saída: “continuo ministro da saúde até quando o presidente quiser”
Alexandre Garcia: Aumento exorbitante no preço do diesel e MST que não invadiu
Ministro da Saúde Nelson Teich envia mensagens para mães que perderam filhos para o coronavírus
< br > < br >

A Polícia Federal (PF) deflagrou hoje (7), em Aracaju, Sergipe, a Operação Serôdio. É para apurar irregularidades na contratação de empresa para montagem da estrutura do Hospital de Campanha da cidade. A ação, que tem o apoio da Controladoria-Geral da União (CGU), investiga direcionamento e sobrepreço na contratação de empresa por mais de R$ 3,2 milhões.

Ao todo, nove mandados de busca e apreensão em Aracaju e em Nossa Senhora do Socorro estão sendo cumpridos. O trabalho conta com a participação de dois auditores da CGU e de 50 policiais federais.

Investigação

Segundo a CGU, as investigações preliminares apontam que a contratação, efetuada por meio de dispensa de licitação, possuía cláusulas restritivas à competitividade e não permitia o parcelamento do objeto, o que elevou o seu custo.

Os auditores identificaram falhas na execução contratual, possível favorecimento para a empresa contratada e indícios de sobrepreço na locação de containers, já que a própria Secretaria Municipal de Saúde realizou aluguel similar por preço inferior em contratação anterior.

Também há indícios de sobrepreço na locação da estrutura de climatização – o custo da locação de cada aparelho de ar condicionado por seis meses chega a quase três vezes o gasto com sua aquisição.

Este ano, até junho, Aracaju recebeu do Fundo Nacional de Saúde cerca de R$ 24 milhões para custear ações de combate à covid-19.

COMENTÁRIOS

WORDPRESS: 0