Inicio Polícia

Lava Jato: empresário ligado ao governo Witzel é preso pela Polícia Federal

Peixoto é suspeito de envolvimento em fraudes em compras superfaturadas na área da saúde. O empresário Mário Peixoto foi preso, na manhã desta quinta

Corrupção agrava situação do Amazonas durante pandemia do coronavírus
Geraldo Alckmin é indiciado por suspeita de corrupção e lavagem de dinheiro
Empresa do Grupo Globo transferiu R$ 450 mil a companhia de Lula

Peixoto é suspeito de envolvimento em fraudes em compras superfaturadas na área da saúde.

O empresário Mário Peixoto foi preso, na manhã desta quinta-feira (14), na operação “Favorito”, que foi deflagrada pela Polícia Federal (PF).

Peixoto é ligado a Lucas Tristão, secretário de Desenvolvimento Econômico do Rio de Janeiro, braço-direito do governador Wilson Witzel (PSC), destaca o jornal Folha.

O ex-deputado estadual Paulo Melo também foi preso. Outras três pessoas ainda estão sendo procuradas pelos agentes da PF, segundo o portal G1.

Através de interceptações com autorização da Justiça, os investigadores da Lava Jato descobriram que pessoas ligadas a Peixoto trocaram informações sobre compras e aquisições dos hospitais de campanha para enfrentar a pandemia de coronavírus no Rio de Janeiro.

Ainda de acordo com as investigações, mesmo antes da contratação, planilhas de custos já estavam sendo confeccionadas — o que levantou a suspeita de fraudes no processo.

A PF afirma que o grupo ligado a Peixoto “vem há pelo menos 10 anos se destacando como um dos principais fornecedores de mão de obra terceirizada para o governo do RJ”.

“O grupo criminoso alavancou seus negócios com contratações públicas realizadas por meio das suas inúmeras pessoas jurídicas”, acrescenta a PF.

COMENTÁRIOS

WORDPRESS: 0