Queimadas reduzem em 68% no mês de outubro no Amazonas

Em 2019, estado ficou em 6º lugar no ranking de queimadas da Amazônia Legal; No mesmo período de 2018, Amazonas ficou em 2º

O Estado do Amazonas reduziu em 68,2% o número de focos de calor no mês de outubro, em relação ao mesmo período de 2018. Foram 548 focos registrados em 2019 contra 1.725 no ano anterior, segundo os dados do Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (Inpe). Com a redução, o Amazonas passou a ocupar o sexto lugar no ranking de queimadas da Amazônia Legal – ficando abaixo do Pará, Maranhão, Mato Grosso, Tocantins e Rondônia.

Os dados são do Inpe e analisados pela Secretaria de Estado do Meio Ambiente (Sema), que acompanha os números diariamente por meio da Sala de Situação. A estratégia faz parte das ações do Comitê Estadual de Prevenção e Combate aos Incêndios Florestais, Controle de Queimadas e Monitoramento da Qualidade do Ar, coordenado pela Sema.

Os números demonstram uma melhoria significativa do Amazonas na diminuição de focos de calor, quando comparado aos nove Estados que compõem a Amazônia Legal. Em outubro de 2018, o Amazonas ocupava o segundo lugar no ranking com mais focos de calor e, este ano, passou para sexto colocado. Em 2019, o Pará lidera o ranking com 3.870 focos, seguido do Maranhão (2.691), Mato Grosso (1.774), Tocantins (1462), Rondônia (556), Amapá (540), Acre (354) e Roraima (53).

Para o secretário de estado do Meio Ambiente, Eduardo Taveira, a Sema tem atuado ativamente ao longo do ano na elaboração das estratégias de combate a queimadas no Amazonas. “É muito positivo ver que conseguimos ter uma redução significante no número de focos de calor, caindo quatro posições no ranking de estados com mais queimadas em relação ao último ano. Isto é um reflexo do trabalho integrado que vem sendo realizado entre diversos órgãos das esferas municipais, estaduais e federais”, destacou.

O presidente do Instituto de Proteção Ambiental do Amazonas (Ipaam), Juliano Valente, reforçou que as ações de fiscalização e controle se intensificam no segundo semestre do ano e a redução das queimadas é reflexo da atuação da Operação Curuquetê, coordenada operacionalmente pelo Ipaam, em conjunto com a Operação Verde Brasil, do Exército Brasileiro. “Mesmo com estes dados, que mostram o sucesso das ações, continuamos o monitoramento e fiscalização para impedir que o Amazonas volte a enfrentar este problema. O combate aos ilícitos ambientais é uma das prioridades em nossa gestão, cumprindo a missão do Ipaam de garantir o desenvolvimento sustentável do Amazonas”, completou.

Operação – O combate às queimadas e desmatamento ilegal é o foco das operações Curuquetê e Verde Brasil, coordenadas pelo Governo do Amazonas e Governo Federal, e realizadas com foco no Sul do Estado e Região Metropolitana de Manaus. As ações contam com trabalho conjunto da Sema, Ipaam, Corpo de Bombeiros Militar do Amazonas (CBMAM), órgãos da Secretaria de Segurança Pública do Amazonas (SSP-AM), Defesa Civil do Amazonas, Polícia Federal, Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis (Ibama) e Exército Brasileiro.

Marina Souza

Sem Comentários

Deixe um Comentário