• No products in the cart.

Petrobras reduz preço do gás residencial e empresarial nas refinarias

Segundo a companhia, o botijão de gás de cozinha terá queda de 8,17%, e o GLP vendido para indústrias e comércio ficará 13% mais barato

Petrobras anunciou nesta sexta-feira, 2, redução no preço do GLP residencial (embalagens de até 13 quilos) e empresarial (destinado a embalagens acima de 13 quilos) para as distribuidoras. Os novos valores passam a valer a partir de segunda-feira, 5. O preço do botijão de gás de cozinha terá redução de 8,17% e passará a custar 24,06 reais para as distribuidoras, de acordo com o site da estatal. Essa foi a primeira queda neste ano na cotação do GLP residencial, que tem sido reajustada a cada três meses, para, segundo a petroleira, suavizar impactos da volatilidade no mercado externo sobre os valores domésticos.

A companhia também reduziu em 13% os preços médios do GLP industrial e comercial, vendido em embalagens de mais de 13 quilos em suas refinarias. É o segundo corte consecutivo nos valores desse produto, que já havia sofrido queda de 9,8% em 24 de julho – o primeiro reajuste para baixo do preço desde fevereiro.

Os valores anunciados pela Petrobras representam o custo sem adição de impostos para venda do botijão às distribuidoras. O repasse dos preços ao consumidor final depende das estratégias das distribuidoras e revendedoras. De acordo com a estatal, o preço de venda do gás de cozinha é formado pela média das cotações de butano e propano no mercado europeu, com o acréscimo de uma margem de 5%, e pela cotação do câmbio.

Em nota, o Sindicato Nacional das Empresas Distribuidoras de Gás Liquefeito de Petróleo (Sindigás) estimou que a Petrobras ainda tem praticado ágio de cerca de 31% em relação ao mercado internacional. “Esse ágio vem pressionando ainda mais os custos de negócios que têm o GLP entre seus principais insumos, impactando de forma crucial empresas que operam com o uso intensivo”, de acordo com o comunicado.

Uma diminuição nos preços do gás faz parte do “choque de energia barata” prometido pelo ministro da EconomiaPaulo Guedes, que, segundo ele, se dará pela abertura do mercado, especialmente com a quebra do monopólio da distribuição. Em abril, Guedes projetou que os preços do GLP residencial possam cair pela metade em “um ano e meio ou dois” com as medidas do governo. Em linha com a abertura, a Petrobras está em meio ao processo de venda de sua distribuidora de botijões de gás, a Liquigás.

 

Com Informações da Reuters

Sem Comentários

Deixe um Comentário