• No products in the cart.

III Seminário Internacional de Segurança da Amazônia será transmitido via internet para todo Brasil

O delegado de Polícia Civil Mário Aufiero, coordenador do III Seminário Internacional de Segurança da Amazônia (SISAM), informa que o evento tem como principal finalidade de fornecer informações técnicas ao Governo Federal Brasileiro, ao Estado do Amazonas e países vizinhos, por meio de dados primários e secundários, pesquisas e ações sobre as políticas de segurança pública adotadas pelas forças policiais no combate ao narcotráfico na região de fronteiras com o Brasil. O evento acontece nos dias 22, 23 e 24 de maio, no Teatro Século, no Centro Educacional Século, na Avenida Coronel Teixeira, 4.371, Ponta Negra, Manaus/Am.

A abertura solene caberá ao Governador do Amazonas, Wilson Lima, além da presença de várias autoridades, o vice-governador Carlos Almeida, o magistrado italiano Fábio Licata, Giuseppe Giura, que integra a Polícia de Estado da Itália e o Coronel Luís Ernesto García Hernández, oficial da Polícia Colombiana, entre outros ilustres.

O delegado Mário Aufiero, que também é o presidente da Associação de Delegados de Polícia do Amazonas (Adepol-AM), explicou que por conta de o Brasil estar ao lado dos maiores produtores de cocaína do mundo, Colômbia e Peru, é necessário discutir as ações das forças de segurança para coibir e proibir o ingresso e comercialização das drogas no país, principalmente as que passam nas fronteiras com a região brasileira.

“Estamos ao lado dos maiores produtores de cocaína do mundo e quando a gente fala dos maiores produtores, falamos de lucro, rentabilidade. Segundo as Nações Unidas houve um aumento da área de cultivo das folhas de coca na Colômbia que chegou a 171 mil hectares em 2017, 17% em relação a 2016, e a folha de coca no Peru registrou 150 mil toneladas então a gente tem que buscar soluções para isso”, explicou Aufiero.

De acordo com o coordenador do III SISAM, as soluções dos problemas que devem ser apresentados no evento podem ser possíveis se houver a integração de todas as forças de segurança e, principalmente, de um investimento do Governo Federal no corpo operacional nas regiões de fronteiras. Aufiero destacou a importância de uma vigilância 24h nos locais e frisou o valor das forças armadas no primeiro combate ao narcotráfico.

“O tráfico de drogas está organizado, com estrutura coesa e isso é um desafio para o estado brasileiro, mas somente com a integração de todos os atores da segurança que vamos poder justamente ter soluções a curto, médio e longo prazo para coibir essa prática. O Governo Federal tem que ser o grande gestor, somente Polícia Civil, Federal e Militar não vai dar conta, temos que ter as forças armadas ali fazendo sua função que é proteger a nossa fronteira”, esclareceu.

“Não adianta fazer somente operação e não ter vigilância, precisamos de vigilância por tempo integral, isso tem que ser um trabalho integrado com as polícias federal, civil e militar, fazendo justamente esse contraponto, com procedimentos de lavrar flagrantes, fazer investigações, ações de inteligência, com a presença do Governo Federal”, concluiu, ressaltando que o III SISAM servirá para ampliar a discussão sobre as soluções para a segurança pública nas fronteiras.

No final do evento, os participantes do seminário devem atualizar a Carta Manaus, que tem como finalidade traçar os principais objetivos para uma política de segurança contemporânea e realista para a região.

TRANSMISSÃO AO VIVO

O III SISAM, que será realizado nos dias 22, 23 e 24 deste mês, será transmitido pela primeira vez em plataformas digitais. “Pela primeira vez o SISAM será transmitido via internet, na página do canal pelo YouTube e pelas sociais Instagram e Facebook para todo o Brasil e todo o mundo, uma vez que o teatro com capacidade para 750 pessoas já está esgotado”, concluiu.

Sem Comentários

Deixe um Comentário