• No products in the cart.
Foto : Claudio Heitor / Secom

Famílias bocacrense recebem ajuda humanitária do Governo do Amazonas

A ajuda humanitária do Governo do Amazonas avança pelo interior do Estado e, nesta quinta-feira, 9 de maio, chegou ao município Boca do Acre, no sudoeste do Estado, na calha do rio Purus. Na sede municipal, o governador em exercício e secretário chefe da Casa Civil, Carlos Almeida, entregou kits humanitários para 801 famílias, que vivem em 25 comunidades. Em Boca do Acre, 6.410 pessoas foram atingidas pela cheia deste ano.

No município, a Defesa Civil está instalando 6 purificadores Salta-Z, o principal item e novidade que o atual Governo está levando às comunidades afetadas pela cheia dos rios neste ano. Desenvolvido pela Fundação Nacional de Saúde (Funasa), o equipamento é 25% mais barato que produtos similares, garantindo água potável para até 1 mil pessoas por dia. Além dos 6 purificadores Salta-Z, o município recebeu 1.362 cestas básicas, 3.205 kits higiene, 801 kits com redes, lençóis e mosquiteiros, 801 kits limpeza, 80 colchões, 80 jogos de cama e 80 travesseiros.

Com a Defesa Civil, o governador do Amazonas, Wilson Lima, já levou, pessoalmente, a ajuda humanitária a Manicoré. No sábado passado, Carlos Almeida fez entrega dos kits e purificadores em Nova Olinda do Norte, na sede municipal e na comunidade Laguinho do Bom Jesus, beneficiando 1.423 famílias. Em paralelo, as equipes da Defesa Civil já atenderam outros municípios, do total de 12 que decretaram situação de emergência.

Ajuda antecipada – Carlos Almeida explica que, desde quando assumiu o Governo, o governador Wilson Lima se preocupou em planejar o atendimento das famílias, uma vez que a Defesa Civil já fazia projeção de uma cheia acima da média nesse ano.

“O governador Wilson Lima tem trabalhado em todo Estado do Amazonas, para poder levar qualidade de vida à população, e quando ele não pode estar, estou representando-o, trazendo toda nossa equipe (secretariado). O Salta-Z (purificador de água) é apenas o início. As medidas que acabamos de anunciar e a entrega dos kits (de ajuda humanitária) demonstram o nosso compromisso com a sociedade, entregando ajuda sempre de forma preventiva. Estou feliz de estar aqui, em Boca do Acre, nessa comunidade (Lago Novo), entregando o Salta-Z, que atenderá até mil pessoas por dia”.

Investimento na saúde – Além da entrega de kits, com cestas básicas, redes, colchões, kits de higiene, entre outros itens, Carlos Almeida anunciou que, a partir do próximo dia 21, a população de Boca do Acre poderá também ser atendida, em casos de alta complexidade, em hospitais de Rio Branco, Capital do Estado Acre, de forma ordenada, por agendamento, pelo sistema de regulação acreano. As duas cidades estão interligadas por estrada, de 208 quilômetros de extensão.

O hospital de Boca do Acre tem 60 leitos e atende casos de até média complexidade. “No ano passado, o Governo cancelou o convênio para reformar o prédio da unidade e para aquisição de equipamentos, mas já estamos trabalhando para refazer esse convênio e melhorarmos o hospital da cidade”, destacou Almeida.

O prefeito de Boca do Acre, Zeca Cruz, destacou a importância da parceria com o Estado, em levar investimentos ao município. Ele informou que o Governo transportou os purificadores à cidade sem qualquer custo para a Prefeitura, e de forma rápida. “Antes, a ajuda chegava bem após as alagações. Este ano foi diferente e agradecemos ao Governo, ao governador Wilson Lima”.

Calhas de rio – O investimento do Estado na ajuda humanitária aos 12 municípios supera os R$ 5 milhões. Nessas localidades, informa a Defesa Civil, 10.661 famílias serão beneficiadas diretamente com os kits, que darão o suporte mínimo necessário às famílias durante esse período de oscilações extremas no nível do leito dos rios.

Na calha do rio Madeira, 43.233 pessoas foram afetadas, nos municípios Humaitá, Manicoré, Novo Aripuanã e Nova Olinda do Norte. Ao longo do Purus, 12.618 pessoas tiveram perdas com a cheia, nos municípios Boca do Acre, Canutama e Lábrea. Em Guajará, Ipixuna, Eirunepé, Itamarati e Carauari, a Defesa Civil do Amazonas identificou 48.245 pessoas atingidas pela cheia da Calha do Rio Juruá.

Com informações da Assessoria de Comunicação da Vice-Governadoria e da Casa Civil

Sem Comentários

Deixe um Comentário