• No products in the cart.

Faculdade lança cartilha de prevenção ao suicídio

Como forma de auxiliar a sociedade de forma geral, a faculdade Martha Falcão | Wyden promove, nesta terça-feira, 28.05, evento gratuito em alusão ao novo Modelo de Assistência à Saúde Mental com o tema “Pauta Psi: Rediscutindo a assistência na saúde mental”, das 19h30 às 21h30, no auditório da instituição. Na ocasião, será lançada ainda a Cartilha de Prevenção ao Suicídio, elaborada pelo psicólogo e professor do curso de Psicologia, Rockson Costa Pessoa.

O evento tem por objetivo discutir a temática com estudantes, profissionais e sociedade em geral. Para tanto, estarão presentes as psicólogas Luciana Dienderich, da Coordenação Estadual de Saúde Mental, e Jucimara Bernardes, representante do Fórum Amazonense de Saúde Mental.
O suicídio é considerado um sério problema de saúde pública. Segundo informações da Organização Mundial da Saúde (OMS), a cada ano são registrados mais de 800 mil casos no mundo, o que representa aproximadamente uma morte a cada 40 segundos.

No Brasil, o comportamento suicida atinge aproximadamente 11 mil pessoas, envolvendo crianças, jovens, adultos e idosos. Os dados são do primeiro boletim epidemiológico sobre suicídio, divulgado no ano passado pelo Ministério da Saúde.

Pensando em como a Academia poderia colaborar com este cenário, o professor Rockson Costa Pessoa, elaboro uma cartilha, que tem como proposta orientar as pessoas para que possam e saibam de que maneira ajudar ao tomar conhecimento sobre alguém que pretende cometer suicídio. O livreto explica, de forma didática, sobre as condutas mais assertivas e formas de ação que favoreçam a chegada desta pessoa até um profissional habilitado.
“Independente do tema, penso que é muito útil demonstrar nossa responsabilidade social e esta mensagem é de todo o curso de Psicologia. A cartilha é uma mensagem que trazemos para pensar uma formação que olhe com cuidado para a sociedade”, afirmou o professor Rockson Costa.

A cartilha apresenta a maneira adequada de abordar o assunto, pois alguns fatores, de acordo com o professor, são considerados de risco e merecem atenção. Ele destaca ainda que o suicídio pode ser prevenido e, por isso, devemos atentar sobre a importância em saber reconhecer os sinais de alerta em si mesmo ou em alguém próximo. “Isso pode ser o primeiro e o mais importante passo para salvar uma vida”, afirmou.

Frases e ações que podem indicar o desejo de morrer como “eu não aguento mais”, “preferia estar morta (o)”, ou “Sou um perdedor e um peso para os outros” são indicativos que devem ser observados com atenção.

“Erroneamente muitos interpretam essas manifestações como ameaças e chantagens emocionais, no entanto, são avisos de alerta para um risco real, portanto é muito importante que não se desqualifique o sentimento ou pensamento dessa pessoa”, diz trecho da cartilha. “Diante do mais discreto sinal, é preciso não julgar e não minimizar o sofrimento da pessoa e o segundo ponto é levar o profissional ao psiquiatra, seja empático e não julgue”, completou o professor Rockson Costa.

Para elaboração, foi utilizada a literatura técnica para a elaboração da cartilha com fontes estatísticas, considerando os dados oriundos do Ministério da Saúde.

Sem Comentários

Deixe um Comentário