• No products in the cart.

Defesa Civil do Amazonas libera R$ 200 mil para minimizar danos da cheia em Eirunepé

O governo do Amazonas, por meio da Defesa Civil, liberou o empenho de R$ 200 mil para executar ações que minimizem os danos causados pela cheia do rio Juruá no município de Eirunepé. Em situação de emergência desde o dia 15 de fevereiro, a cidade tem quase 13 mil pessoas afetadas pela cheia,

Além dos recursos, também serão enviados mais de 6,5 mil itens de ajuda humanitária. A formalização do repasse foi feita na manhã desta quarta-feira, 27 de março, durante uma reunião entre o prefeito de Eirunepé, Raylan Barroso, e o secretário-executivo da Defesa Civil, Francisco Máximo.

“Esse recurso chega em boa hora e será muito bem aplicado pela prefeitura. As pessoas que enfrentam o problema de ter suas casas alagadas esperam por uma resposta rápida da nossa parte e por ter essa agilidade eu agradeço ao governo do Estado e Defesa Civil. Saio daqui satisfeito com todo o apoio”, afirmou o prefeito Raylan Barroso.

O repasse será feito imediatamente para a prefeitura. Já os itens de ajuda humanitária, composto por cestas básicas, kits de limpeza, higiene pessoal, dormitório, jogo de cama e travesseiros, devem ser entregues no final do mês de abril pelo governo do Estado. Na cidade, atualmente, três bairros da cidade estão submersos, as escolas tiveram as aulas prejudicadas e os prejuízos passam de R$ 1 milhão só no setor primário.

“Estamos aqui para colaborar com os municípios. Não apenas Eirunepé, que graças à organização da prefeitura teve a agilidade no levantamento de dados, mas todas as outras que enfrentam uma situação parecida. Temos poucos recursos, mas empenhamos da melhor forma”, disse Francisco Máximo.

Salta-z – A Defesa Civil ainda garantiu seis unidades da Solução Simplificada de Abastecimento de Água por Zeólita (Salta-z) para o município de Eirunepé. Os itens serão enviados já nos próximos dias para garantir água tratada de qualidade para as comunidades.

A solução foi desenvolvida por técnicos da Funasa e o seu principal objetivo é melhorar a qualidade da água local. A tecnologia faz uso de filtros e dosadores de construção e montagens artesanal de fácil operacionalização. O sistema apresenta resultados compatíveis com as exigências da portaria de potabilidade do Ministério da Saúde (MS) e garante o acesso de comunidades em estado de vulnerabilidade a uma água de qualidade.

Sem Comentários

Deixe um Comentário