Belarmino Lins pede providências do CENIPA contra voos perigosos da MAP entre Manaus e Carauari

Em representação encaminhada nesta segunda-feira (15) ao brigadeiro do Ar Frederico Alberto Marcondes Felipe, chefe do Centro de Prevenção de Acidentes Aeronáuticos (CENIPA), em Brasília, o deputado estadual Belarmino Lins (PP) pediu a adoção de providências urgentes sobre a empresa MAP Linhas Aéreas que há seis meses realiza voos entre Manaus e Carauari, no Alto Juruá, com a ocorrência de sucessivas panes, aterrorizando os passageiros.
De acordo com o líder progressista, nos últimos 90 dias as panes tornaram-se frequentes, colocando em risco as vidas dos passageiros que usam a linha em viagens constantes entre a capital do Estado e o município. A pane mais recente ocorreu no dia 15 de junho último quando uma aeronave da empresa foi obrigada a fazer um pouso emergencial no Aeroporto Internacional Eduardo Gomes, em Manaus.
Belarmino diz que na ocasião a aeronave teve que retornar ao aeroporto cinco minutos após ter feito a decolagem e por pouco não houve explosão, conforme depoimentos de alguns dos 34 passageiros em pânico. “Por isso, encaminhei representação ao brigadeiro Frederico Alberto clamando por providências rápidas do CENIPA antes que uma tragédia de largas proporções aconteça”, disse o parlamentar que também formulou apelo em favor da causa aos membros da bancada amazonense de deputados e senadores no Congresso Nacional.
Belarmino ressalta ser testemunha da grave situação envolvendo os voos irregulares da MAP na região do Juruá, tendo ouvido muitos protestos por parte de populares e políticos de Carauari, dentre os quais o vereador Airton Siqueira, durante visitas às suas bases eleitorais no município.
Em uma exposição de motivos enviada ao gabinete do deputado, Airton relata que a pane do dia 15 foi apenas mais um dos sérios acidentes envolvendo as aeronaves da MAP nos últimos meses. “Foram inúmeras vezes que o avião decolou de Manaus para Carauari e, dentro de 5, 10 ou 15 minutos de voo, teve que retornar à Manaus por conta de problemas mecânicos”, relata ele.
Segundo Airton, com relação ao pouso forçado no Eduardo Gomes, a aeronave teve que realizar o procedimento de forma arriscada, “pois o piloto jogou o avião de peito na pista, porque não conseguiu baixar os trens de pouso”. O vereador afirma que a empresa foi penalizada com a suspensão de seus voos até 5 de julho, “mas parece que a suspensão não serviu de nada, e o que se observa é um completo descaso da empresa na manutenção de suas aeronaves, nota-se que a MAP está sendo negligente e podemos dizer até irresponsável com a segurança de seus passageiros, porque já aconteceram duas panes seguidas no dia 10 de julho, quando a aeronave taxiou e não conseguiu decolar de Carauari, a aeronave retornou ao pátio e o vôo foi adiado para o dia seguinte. No outro dia, os passageiros embarcaram, mas a aeronave não deu partida, os passageiros tiveram que embarcar em outro avião para fazer a viagem”.

Assessoria de Imprensa
J Taketom

Sem Comentários

Deixe um Comentário